Disfagia x O Papel do Cuidador ♥♥ #porumpastosomelhor

 

“O Cuidador é aquela pessoa rara e especial que diz “Sim” para ajudar, apoiar e cuidar de um ente querido. Um cuidador oferece o mais especial presente de todos a outro ser humano que está necessitando de cuidados”.  (Cindy Laverty)

No dia-a-dia do paciente disfágico é comum vermos sempre a presença de um cuidador. Seja ele um familiar ou um profissional; tenha ele assumido esse papel recentemente (com o problema de deglutição) ou já tenha assumido há algum tempo e somente agora o problema de deglutição surgiu…acho de extrema importância ter o olhar para essa pessoa que está auxiliando os momentos de deglutição e precisa de toda a informação e apoio necessários para realizar esse papel da melhor forma possível. Em alguns posts, estarei falando sobre esse importante papel do Cuidador na presença de Disfagia!

Como Cuidador seu papel é vital para ajudar seu ente querido ou seu paciente a ter sucesso na capacidade de deglutição. Ser ativo, atencioso, e ter disposição para aplicar as estratégias ensinadas são fundamentais para obter esse sucesso. Para cuidar da recuperação de uma pessoa doente, algumas atitudes são fundamentais em um Cuidador (seja ele cuidador de criança, de adulto ou de idoso):

  • empatia
  • respeito
  • atenção
  • envolvimento
  • disponibilidade para troca de afetos
  • tolerância
  • compreensão do outro
  • aprendizado com o dia-a-dia

Entender os sentimentos do paciente é algo fundamental, pois não devemos esquecer o que a pessoa pode estar sentindo estando naquela situação. As reações emocionais do paciente estão relacionadas às vivências que ela teve até agora. Se o paciente é um idoso, a carga  emocional que ele traz, a experiência de vida é muito grande e não pode ser ignorada.

Como um cuidador, seu desafio será garantir que seu familiar/ paciente esteja seguro, saudável e obtendo a ajuda de que precisa. Você precisa ser capaz de fazer isso sem ultrapassar os limites, o que poderia fazer com que ele fique ressentido e resistente à sua assistência.senior-woman-home-caregiver-women-eats-lunch-retirement-36610644

 

É importante pode dosar momentos de autonomia e independência ao paciente. No que diz respeito à alimentação, por exemplo, podemos utilizar a autonomia em algumas refeições dentro da capacidade de cada paciente: Ele pode não ser capaz de se alimentar sozinho durante toda a refeição, mas talvez ele possa iniciar se alimentando e o cuidador finaliza para que a refeição não demore demais. Ou ainda, ele pode não conseguir se alimentar sozinho, mas pode decidir o que quer comer dentro de algumas possibilidades oferecidas…e por aí vai!

No próximo post tem mais! Enquanto isso, dá uma conferida nestes posts importantes para aprender mais sobre a disfagia! Segue o blog para acompanhar as próximas postagens 😉

Confere aqui o que já postei sobre Disfagia!

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s