Já conhece a nova terminologia IDDSI?! **Dê seu feedback **

Como já postei aqui no Blog uma vez, realizei, no ano passado, a tradução da nova terminologia IDDSI…mas, muita gente ainda não conhece, ou não teve acesso à versão já traduzida. Se você ainda não viu,  não deixe de ler este post!!

No 3º Congresso Brasileiro de Disfagia, que aconteceu este mês, ressaltou-se a importância da divulgação desta importante ferramenta, para que cada vez mais pessoas conheçam e seja iniciada a implementação aqui no Brasil.

A tradução para o português foi realizada por mim de forma voluntária e necessitamos que os profissionais revisem essa tradução e possam opinar sobre algum termo traduzido. No site www.iddsi.org/translations  você acessa os dois arquivos traduzidos na janela “Available for review”. Estará aberto para revisão até o dia 30 de Abril.

Acesse o material, divulgue para seus colegas e vamos ajudar a espalhar esta ferramenta tão importante para a Fonoaudiologia!

cropped-img_header_new

Nos últimos anos, vários países trabalharam para desenvolver padrões de dieta para disfagia em nível regional ou nacional. Infelizmente, todos esses padrões usam terminologia, rótulos, números e níveis diferentes, o que aumenta a confusão para indivíduos e cuidadores, bem como profissionais de saúde e pesquisadores. Um indivíduo com disfagia que está em uma dieta de textura modificada pode ter sua dieta chamada de uma coisa no hospital, que pode ser diferente na reabilitação após alta ou ainda pode ser diferente em outro país. O desenvolvimento de padrões internacionais abordará esse problema específico.

A Iniciativa Internacional de Padronização de Dietas para Disfagia (IDDSI – International Dysphagia Diet Standardisation Initiative) foi fundada em 2013 com o objetivo de desenvolver uma nova terminologia e definições padronizadas à nível

global para descrever as consistências adaptadas de alimentos e líquidos espessados utilizados para indivíduos com disfagia de todas as idades, em todos os ambientes de cuidado e para todas as culturas.

Entendendo o Problema: Disfagia – E agora??!

Nesta série de posts com intuito de levar mais informação a respeito da disfagia, já abordei o conceito de Disfagia (aqui), os sinais para reconhecimento do problema (aqui), falei sobre o grande problema que é a Aspiração e a Asfixia (aqui) e mostrei ainda um vídeo que mostra a Deglutição Normal x  Disfagia (aqui). Confere os links acima se você perdeu algum post até agora.

Você ou seu familiar recebeu o disgnóstico de Disfagia? E agora?!

Após receber o diagnóstico de Disfagia, o paciente irá receber a indicação de um tratamento que será definido e realizado por um(a) fonoaudiólogo(a). O tipo de tratamento irá variar de acordo com as dificuldades e necessidades de cada paciente e abrange desde técnicas e exercícios para melhora da deglutição, até a adaptação da consistência dos alimentos e/ou necessidade de uso de via alternativa para alimentação (sonda).

No manejo da disfagia, um dos principais aspectos é a modificação da dieta. Adaptações serão feitas para garantir a SEGURANÇA (diminuir o risco de complicações respiratórias, por exemplo) e a EFICÁCIA (manter um ótimo nível de nutrição e hidratação) na deglutição.

Se o paciente permanecer se alimentando por Via Oral, modificações podem ser feitas tanto nos alimentos sólidos quanto nos líquidos. Em alguns países, existe uma nomenclatura padronizada e descrições a respeito dessa modificação. Aqui no Brasil ainda não temos esse padrão, mas via de regra se utiliza a modificação para as consistências:

Pastosa Fina, Pastosa Grossa e Semi-Sólido para os alimentos sólidos;

Líquido Fino, Líquido Espessado e Líquido Grosso para os líquidos (também muito utilizado o Néctar, Honey e Pudim).

O fonoaudiólogo (a) que irá orientar qual consistência(s) será mais segura para cada caso, bem como deve orientar como deve ser feita a modificação de forma que a consistência fique bem entendida e possa assim ser bem administrada.  Para as consistências que são PASTOSAS é importante que todo alimento fique com a consistência homogênea, lisa e sem grumos…Falaremos mais sobre isso em outro post!

O importante é encarar esta modificação na dieta como algo positivo, que irá facilitar a deglutição da pessoa com disfagia. Aqui você pode conferir dicas para fazer um #pastosomelhor!

 

♦ As informações contidas neste Blog têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, fonoaudiólogos, nutricionistas ou outros especialistas. Se tiver alguma dúvida, procure um dos profissionais.

Líquidos Espessados para refrescar e hidratar!!!! #porumapastosomelhor

Tá calor, né?! E o calor continua por um bom tempo ainda! Então, vamos caprichar na variação de líquidos espessados ofertados ao paciente!! Com certeza uma (ou várias!!!) vai agradar o paladar do seu paciente/ familiar! Tem Água Saborizada, Suco ou Chá Gelado. Qual vai ser a receita de hoje!?  Compartilha comigo nos comentários ou no Facebook!

Acesse aqui algumas das Receitas do blog:

Água Espessada Saborizada com Pêssego, Mirtilo e Limão

Água Espessada Aromatizada com Especiarias

Água Espessada Aromatizada com Limão Siciliano e Pepino

Água Espessada Saborizada com Morango e Limão

Água Espessada Saborizada com Laranja e Canela

Chá Espessado Gelado de Maracujá e Erva Cidreira

Chá Espessado Gelado com Pêssego

Suco Espessado de Abacaxi com Uvas e Alface

Suco Espessado Refrescante

 

√ Lembre sempre de verificar com a nutricionista se o paciente pode consumir os ingredientes da receita e as condições para inserí-la em sua dieta!

 

Foto: Google Images