📢 IDDSI – Você já conhece!?📢

A Iniciativa Internacional de Padronização de Dieta para Disfagia (IDDSI) criou uma nova terminologia e definições globais padronizadas das consistências para disfagia.

Ano passado, fiz a tradução da terminologia, com suas descrições e métodos de teste, afim de contribuir com um esse grande grupo de especialistas profissionais voluntários, que estão trabalhando fortemente para melhorar a segurança e o atendimento de indivíduos com disfagia – que afeta cerca de 590 milhões de pessoas em todo o mundo.

Continuar lendo “📢 IDDSI – Você já conhece!?📢”
Anúncios

Disfagia e Hidratação – 7 Dicas importantes #porumpastosomelhor

A hidratação no paciente disfágico é uma preocupação constante – não só no Verão – mas nesta época é preciso ficar ainda mais atento e criar maneiras de oferecer a hidratação adequada!

A desidratação é um problema sério de saúde, principalmente nos pacientes idosos. Por ser uma faixa etária onde a disfagia também está bastante presente, é preciso ter muita atenção para que isso não se torne uma emergência médica.

A desidratação nos idosos pode levar à

  • Infecções no trato urinário
  • Quedas frequentes
  • Agravamento de outras condições médicas (ex. renal ou cardíaca)
  • Hospitalização

Seguem algumas dicas para auxiliar a hidratação e aceitação de líquidos espessados pelo paciente disfágico:

  1. Mantenha água sempre gelada disponível – Deixe para espessar na hora de servir o paciente (você pode manter uma jarra ou garrafa de água específica para o paciente disfágico, assim pode controlar o consumo diário)
  2. Use e abuse de águas aromatizadas e saborizadas – Cores fortes, e variações coloridas atraem mais! Confira algumas receitas aqui!
  3. Pense além da água – Sabemos que a água é o melhor hidratante, mas outras bebidas também podem funcionar bem, principalmente em relação à aceitação.
  4. Pense além dos líquidos – Alguns pacientes disfágicos acabam preferindo mais comer do que beber, e aceitam muito pouco líquido. Então forneça alimentos com alto teor de água, como purê de vegetais, consomês (quentes ou frios), sucos de frutas, como melancia e melão. Mas nunca pare de insistir nos líquidos!!!
  5. Esteja atento à alimentos que desidratam – Preparos com alto teor de sódio, açúcares e cafeína, por exemplo.
  6. Forneça copos adequados para pacientes disfágicos – xícaras ou copos baixos e largos, que permitam que o paciente beba pequenos goles, “encaixando” o nariz, evitando que ele jogue a cabeça para trás (o que aumenta o risco de aspiração)
  7. Coloque alertas para lembrar de oferecer líquidos! – Muitas vezes, o paciente disfágico é alimentado por um cuidador, e não irá buscar se hidratar sozinho! Com tantas tarefas a fazer, não é difícil esquecer de estar oferecendo líquidos várias vezes ao dia. Para auxiliar, coloque alertas no celular durante o dia.

⚠ ⚠ Em outro post, falo dos sintomas de desidratação. Confere aqui! ⚠ ⚠

♦ As informações contidas neste Blog têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, fonoaudiólogos, nutricionistas ou outros especialistas. Se tiver alguma dúvida, procure um dos profissionais.

Já conhece a nova terminologia IDDSI?! **Dê seu feedback **

Como já postei aqui no Blog uma vez, realizei, no ano passado, a tradução da nova terminologia IDDSI…mas, muita gente ainda não conhece, ou não teve acesso à versão já traduzida. Se você ainda não viu,  não deixe de ler este post!!

No 3º Congresso Brasileiro de Disfagia, que aconteceu este mês, ressaltou-se a importância da divulgação desta importante ferramenta, para que cada vez mais pessoas conheçam e seja iniciada a implementação aqui no Brasil.

A tradução para o português foi realizada por mim de forma voluntária e necessitamos que os profissionais revisem essa tradução e possam opinar sobre algum termo traduzido. No site www.iddsi.org/translations  você acessa os dois arquivos traduzidos na janela “Available for review”. Estará aberto para revisão até o dia 30 de Abril.

Acesse o material, divulgue para seus colegas e vamos ajudar a espalhar esta ferramenta tão importante para a Fonoaudiologia!

cropped-img_header_new

Nos últimos anos, vários países trabalharam para desenvolver padrões de dieta para disfagia em nível regional ou nacional. Infelizmente, todos esses padrões usam terminologia, rótulos, números e níveis diferentes, o que aumenta a confusão para indivíduos e cuidadores, bem como profissionais de saúde e pesquisadores. Um indivíduo com disfagia que está em uma dieta de textura modificada pode ter sua dieta chamada de uma coisa no hospital, que pode ser diferente na reabilitação após alta ou ainda pode ser diferente em outro país. O desenvolvimento de padrões internacionais abordará esse problema específico.

A Iniciativa Internacional de Padronização de Dietas para Disfagia (IDDSI – International Dysphagia Diet Standardisation Initiative) foi fundada em 2013 com o objetivo de desenvolver uma nova terminologia e definições padronizadas à nível

global para descrever as consistências adaptadas de alimentos e líquidos espessados utilizados para indivíduos com disfagia de todas as idades, em todos os ambientes de cuidado e para todas as culturas.

Nova terminologia IDDSI – Padronização global para consistências #porumpastosomelhor

É com muito prazer que hoje escrevo este post para falar sobre um assunto tão importante! Há muito tempo eu venho dizendo que seria muito bom que todos os profissionais relacionados com o paciente disfágico falassem a mesma língua, ou seja, que os nomes dados às consistências para disfagia fossem os mesmos.

Mas, bem distante dessa realidade, vemos aqui no Brasil (como em muitos outros países), cada região utilizando uma nomenclatura, um padrão de espessamento, bem como não havendo uma língua comum entre fonos e nutris, profissionais que trabalham em conjunto na atenção ao paciente disfágico. Enquanto na classificação da nutrição a DIETA PASTOSA é uma dieta que inclui alimentos macios e cremes, mas permite haver pedaços e mistura de consistências (líquido+pastoso ou líquido+sólido), a DIETA PASTOSA do paciente disfágico jamais pode ter essas características. O paciente com disfagia necessita de uma alimentação adaptada às suas necessidades funcionais: é uma questão crucial de SEGURANÇA!

Aos poucos, isso vem mudando. Já vemos vários locais montando um serviço  de Fono+Nutrição com uma nomenclatura única quando se trata de Disfagia.  Minhas oficinas, assim como este blog, objetivam justamente levar mais informação, para que aos poucos consigamos ir mudando e fortalecendo este aspecto tão importante no atendimento aos disfágicos.

E agora, temos uma nova terminologia sendo proposta e iniciando sua implantação em em alguns países como Canadá, Austrália e EUA. A IDDSI (International Dysphagia Diet Standardization Initiative) é uma iniciativa global para padronizar dietas para pessoas com transtornos de deglutição. Os novos padrões de dieta IDDSI abordam líquidos e sólidos espessados ​​com descrições, não com texturas relacionadas a produtos comuns, como xarope ou mel ou néctar. Existem oito níveis de espessura e textura que cobrem alimentos líquidos e sólidos.

Imagem1.png

Por considerar uma ferramenta crucial ao nosso trabalho, realizei a tradução dessa nova terminologia para o Português, e os dois documentos relacionados estão disponíveis no site da IDDSI para download e para FEEDBACK. Sugestões ou críticas à tradução podem ser enviadas para o email:  portuguese@iddsi.org

Link para acessar o material traduzido: www.iddsi.org/translations

cropped-img_header_new

Nos próximos posts, abordarei mais essa questão tão importante como a das consistências!